segunda-feira, 2 de maio de 2016

Dicionário - Prequel, Young Adult, New Adult, Chick lit, Sick lit, Distopia

Young Adult (YA):
A literatura “Jovem Adulto” concentra-se basicamente em histórias onde os personagens principais são adolescentes, entrando ou vivenciando o Ensino Médio (High School). Esse gênero, em especial, não serve como classificação etária de leitura. Na verdade ele serve como uma espécie de “aviso” que “esse livro é provavelmente uma boa comédia romântica e que não fará seus filhos pesquisarem boas e impertinentes frases tarde da noite”. Além disso, existem certas características próprias do gênero que o fizeram um sucesso mundial.
Histórias apropriadas para maiores de 14 anos
Muitas vezes (nem sempre) introduz uma lição de moral ou de vida sutil ao longo da narrativa.
Tom simples e de fácil compreensão
Tem com temas abordados a busca pela Identidade, Sexualidade, Depressão, Suicídio, Abuso de Drogas,Relacionamento Familiar, Relacionamentos Amorosos, Status social, Bullying e muitos outros, normalmente retratados de forma conflituosa.
As histórias costumam ter bastante senso de humor (seja irônico ou simplesmente engraçado).
E, o fator que na minha opinião, é o culpado pelo sucesso dos YA, a narrativa desse gênero tem que ser acessível e de fácil leitura. Eu acho que isso é o que faz o rótulo tão atraente para as pessoas: a linguagem é tão simples e fácil que torna-se fácil mergulhar nesse mundo e se imaginar na pele dos personagens. Isso não quer dizer que é rudimentar ou infantil, mas é aquele tipo de linguagem “no ponto”. Sucinto e sutil.


Exemplos de livros YA:


Fonte: https://blogpapocult.wordpress.com

New Adult (NA):

A literatura “New Adult” surgiu em 2009 pela editora St. Martin’s Press, que utilizou a terminologia para definir uma nova categoria de ficção para jovens adultos. O interesse da editora era abordar o período da ‘maior idade’, buscando histórias sobre jovens que são legalmente adultos, mas que ainda estão encontrando seu caminho na construção de uma vida adulta, ou seja, que procuram descobrir o real significado de ser adulto. Para a Editora, “New Adult é sobre a idade jovem-adulta, quando você é um adulto, mas não estabeleceu a sua vida como um (carreira, família, tudo o que você tem, etc.).”

New Adult tem vários dos mesmos componentes do Young Adult, mas com algumas situações da vida adulta. Então, aqui, você está olhando para linguagem acessível com alguns momentos ou situações que são mais difíceis para os jovens adultos se relacionar, como o trabalho, a faculdade, ou um filho.
Geralmente histórias voltadas para universitários e estudantes mais velhos
Apropriado para maiores de 17 anos
Personagens principais entre 18 e 25 anos
Os cenários dessas histórias envolvem mudanças e ‘primeiros passos’. Assim podemos ter como pano de fundo a faculdade, o primeiro emprego, o primeiro relacionamento sério, a primeira bebedeira, o primeiro (ou mais importante) confronto familiar, a primeira relação sexual… Infinitas ‘primeiras-vezes’ e incontáveis conflitos envoltos, principalmente, nas escolhas feitas pelos personagens principais.
A narrativa ainda é de fácil leitura e completamente atraente.
E a grande diferença entre o gênero Young Adult e o New Adult é a nova visão de vida do personagem, pois nesse momento ele já adquiriu certa experiência de vida, mas ainda não é completamente adulto. Seria um pós Young Adult antes de chegar ao gênero Adult (adulto).


Exemplos de livros Na:


Fonte: https://blogpapocult.wordpress.com

Chick lit

"Chick lit é um termo machista para um gênero de ficção dentro da ficção feminina, que aborda as questões das mulheres modernas. Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa. O gênero vende bem, apesar de ainda estar em crescimento no Brasil, algumas editoras já dedicam selos diferenciados para esse gênero. Ele geralmente lida com as questões das mulheres modernas, humor de ânimo leve. Apesar de algumas vezes que inclui elementos românticos, a literatura feminina (incluindo chick lit) geralmente não é considerada uma subcategoria direta do gênero romance, porque, no Chick lit a relação da heroína com sua família ou amigos pode ser tão importante quanto a seus relacionamentos românticos. A principal característica do Chick lit é a protagonista: que é do sexo feminino. Ela está, muitas vezes, tentando vencer (profissional e romanticamente) no mundo moderno. A idade dos personagens principais não importa, podem ser garotas do ensino médio até cinquentonas, suas histórias normalmente são bem humoradas e relatam o dia-a-dia da mulher moderna, sua rotina tripla, seus problemas amorosos, de peso, no trabalho, no namoro, no casamento, no divórcio"



Fonte: Wikipédia


Sick lit

*Em inglês, sick significa doença, e lit é uma abreviação para literatura, ou seja, pode ser traduzido para "literatura-enferma". O enredo trata de personagens com doenças terminais, com depressão ou tendência suicida.

Exemplos:
John Green: A Culpa é das Estrelas; Quem é você, Alasca?; O Teorema Katherine; Cidades de Papel.
Stephen Chbosky: As Vantagens de Ser Invisível.
Jenny Downham: Antes de Morrer; You Against Me.
Joanna Kenrick: Red Tears; Screwed; Baby Father; Out; Mine; Mind Set.
R. J. Palacio: Extraordinário.
Natalie Standiford: Como Dizer Adeus em Robô.
Lou Aronica: A Garota que Semeava.
Sophie van der Stap: A Garota das Nove Perucas.
Boris Vian: A Espuma dos Dias.

Distopia
Distopia ou antiutopia é o pensamento, a filosofia ou o processo discursivo baseado numa ficção cujo valor representa a antítese da utopia ou promove a vivência em uma "utopia negativa". As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, por opressivo controle da sociedade. Nelas, "caem as cortinas", e a sociedade mostra-se corruptível; as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis. A tecnologia é usada como ferramenta de controle, seja do Estado, seja de instituições ou mesmo de corporações.

Distopias são frequentemente criadas como avisos ou como sátiras, mostrando as atuais convenções sociais e limites extrapolados ao máximo. Nesse aspecto, diferem fundamentalmente do conceito de utopia, pois as utopias são sistemas sociais idealizados e não têm raízes na nossa sociedade atual, figurando em outra época ou tempo ou após uma grande descontinuidade histórica.
ma distopia está intimamente conectada à sociedade atual. Um número considerável de histórias de ficção científica que ocorrem num futuro próximo do tipo das descritas como "cyberpunk", usam padrões distópicos de uma companhia de alta tecnologia dominando um mundo em que os governos nacionais se tornaram fracos.

Prequel ou prequela

Prequela ou prequência(em inglês: prequel) é um termo não-dicionarizado em português para se referir a uma obra narrativa que contém elementos ambientados no mesmo universo ficcional, cuja história antecede ao trabalho anterior, apresentando eventos que ocorreram antes da obra original. Trata-se de um neologismo surgindo em inglês originado no mundo cinematográfico, formado por pre — que pode significar antes — e sequel — um trabalho realizado após outro, sequência.
Como as sequências, as prequelas podem debruçar-se ou não sobre a mesma trama do qual são derivadas. Muitas vezes, elas explicam o passado que levou os eventos na narrativa original acontecer, mas às vezes as conexões entre as obras não são explícitas.

Fonte: Wikipédia

Espero que tenham gostado do post...Beijinhos...