terça-feira, 6 de setembro de 2016

Resenha: Meu Milagre é você - Andreia Nascimento



Resenha:
Eu poderia resumir a resenha deste livro em uma só palavra: Perfeito!
Esse livro me conquistou desde a sinopse, e quando comecei a ler me prendeu completamente... Uma historia com tudo na medida certa.
Callie acorda em um hospital sem se lembrar de nada, fica sabendo que sofreu um acidente e seus pais estão mortos. Após quase cinco anos do acidente ela ainda não conseguiu se lembrar do seu passado, mas tocou sua vida assim mesmo, devido a sua paixão pela música se tornou produtora musical, e junto com seu irmão Derek cuidam da produtora que era de seus pais. Eles fecham o contrato para produzir a banda Perfeita Simetria, que ela é fã incondicional e cuja as músicas ajudaram em sua recuperação, lhe confortando e dando forças para seguir em frente.
Ela tem um namorado, Chris, mas que tem se mostrado distante e agressivo, mas quando ela começa a trabalhar com Rafael cantor e compositor da banda, o relacionamento piora visivelmente.
Ela se sente incompleta com a falta da memória, sente que lhe falta uma parte, então ela começa a questionar se não deve tentar fazer suas memórias voltarem. Ela começa a sentir que seu irmão, a noiva dele Brenna (sua melhor amiga) e sua avó estão lhe escondendo algo...Algo muito importante...
Quando está com Rafael ela se sente bem, como se estivesse em casa, a afinidade entre eles é imediata. 


...."Por que perto dele eu reajo assim? Como se faltasse algo? Como se ele fosse o que eu preciso?"...

Uma história linda que já conquistou um lugar entre as minhas favoritas.
Um amor que superou os limites da consciência, onde a mente falhou, se recusou a se lembrar, o coração reconheceu, quer seja nas músicas, que seja na presença onde o seu verdadeiro amor estava, mesmo estando tão longe Rafael esteve presente o tempo todo com as suas músicas, lhe levando mensagens de amor.
Acompanhe essa redescoberta do amor por Callie, que mesmo com todos os empecilhos, com todas as pessoas lhe escondendo o passado, seguiu o seu coração.


..." Eu perdi a menina que eu amava várias vezes - digo lembrando do tormento - Eu perdi minha melhor amiga, eu perdi a pessoa que me ajudava a compor. Eu sofri, eu sangrei por dentro. E pedi a Deus que apagasse a minha memória. Eu pedi por que não suportava mais viver sem você"...
..."Eu apenas perdi você demais para apenas uma vida Callie - digo me sentindo menos pesado - Eu não posso mais perder você"...

Bem e o Rafael... O Rafael é um capítulo a parte, meu Deus ele é maravilhoso, o jeito que ele trata a Callie, tanto carinho, tanta paciência e tanto amor, me fez suspirar varias vezes durante o livro...


..." Eu estarei aqui quando você estiver pronta. Não importa se é daqui a meia hora, ou um mê. Até anos Callie. Eu não vou me afastar de você novamente"...

Agora me digam, não é muito amor?
Mas vocês pensam que é tudo assim fofinho, bonitinho? Não. Tem muito mais, isso é só o começo...
É daqueles livros que você fica tensa para que a situação se resolva logo, e quando pensa que está chegando ao fim, descobre que está apenas no início...
A escrita da Andrea é maravilhosa, aquela que flui, você não consegue mais largar, a gente se envolve com a história.
Os personagens são excelentes, até o Chris que é totalmente desajustado é super convincente.
A capa é linda, tem super a ver com a historia.

E o final... Bem o final....Sabe quando você termina um livro, coloca ele no peito (no meu caso o celular), fecha os olhos e dá aquele suspiro com um sorriso no rosto? Pois esse livro é assim....




Sinopse:

Não podemos controlar nossos destinos. Somos apenas uma peça no jogo da vida.
Callie sofreu um acidente que a levou ao hospital. Tirou as pessoas mais importantes sua vida e como se não bastasse, apagou sua memória.
Entre sofrer durante meses por suas lembranças esquecidas e conseguir seguir em frente, Callie passou por dias doloridos. Conviver com o branco na mente não foi fácil, não lembrar das últimas palavras dos pais, como foi o ensino médio ou porque ela fazia aquela viagem a deixavam com uma sensação de vazio no peito.
E esses espaços em branco só podiam ser preenchidos por suas memorias inexistente.
Como sempre, Calliope encontra conforto na música e a banda Perfeita Simetria parece a entender em todos os aspectos. Assim como em uma terapia, a vontade de voltar ao mundo logo surge e ela dedica seus estudos a se tornar produtora musical – a mesma carreira de seus pais – e continuar o legado de sua família.
E como obra do destino, a banda precisa de uma gravadora nova. Ela vê isso como uma oportunidade de agradecer pessoalmente a banda que tanto a ajudou a superar uma fase difícil de sua vida.
Mas não é apenas essa brincadeira que o destino vai fazer. Há muito mais do que músicas em seu encontro com Rafael, o cantor/compositor da banda. Há também a sensação familiar que lhe ocorre quando acontece o primeiro encontro.
Há sentimentos que não podem ser apagados quando eles estão marcados como tatuagem sobre a pele.