segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Resenha: Nildrien, o Pergaminho - Manoel Batista


O que mais me assustou neste livro foi o tamanho, são 588 páginas, eu não sou de ler livros assim, ainda não li  As Crônicas de Gelo e Fogo, justamente pelo tamanho, então eu pensei, onde eu me meti? Mas para minha surpresa, li ele sem problema nenhum. 
No inicio o autor nos apresenta os personagens, um a um, ele vai contado como cada um chegou a Nalim e como foram parar  no exército na parte de expedições.
Uma coisa interessante neste livro é que ele se passa em um mundo de fantasia medieval, mas o autor optou pelo linguajar bem moderno de alguns personagens, principalmente os mais jovens,  o que ao meu ver tornou o livro bem mais leve e divertido. Então sempre encontramos diálogos como esse:

"- Olha, desse jeito não vai dar certo! Não é a primeira vez que você faz isso, apesar de ser meu melhor homem...- Dygon fez uma pausa e com a voz grave decretou: - Vou te transferir para outra seção do exército!
- Tá bom, dane-se! - Respondeu o guerreiro do gelo, com um ar de desdem.
O líder da guarda não acreditava no que acabara de ouvir. Irrompendo em uma terrível crise de fúria, gritou aos quatro ventos, enquanto apontava o dedo na cara do meio-demônio: 
- Seu moleque! Quem você pensa que é?..."

Os personagens são muitos, mas como no inicio o autor nos conta separadamente a história de cada um e como cada um chegou a expedição, vamos nos familiarizando com eles, ficando fácil distinguir cada um.

Vamos conhecer cada um deles? 
- Reks: Meio Dragão discípulo de Haoru, o maior mestre de Nildriem. Vai para Nalim levar uma correspondência do seu mestre para a Rainha.
- Histran: Jovem que sai de sua terra e vai para Nalim em busca de aventura e se alistar no exército para participar das expedições.
- Karson: Jovem que ficou preso por 4 anos "injustamente".
- Hanns: Meio-demônio de pavio curto, foi transferido para expedições por seu mau comportamento no exército.
- Kyler (paladino), Ylis (clérica da Paz) e Verônica( clérica da Luz). Elas se alistam no exercito e ele por ser o protetor delas, vai também a contragosto.
- Damian (meio- elfo feiticeiro), líder da Força Especial de magos do reino e líder da expedição e sua irmã Marlin (maga).
- Mike (lutador de rua) 
- Loris (princesa da Luz), Karedrine (clérica do Amor) e Myat (maga da Luz) do reino de Skyllus.
- Mistia (guerreira)
- Hant (paladino)

Esse é o grupo (bem peculiar diga-se de passagem) que o reino de Nalim envia para a Caverna Antiga em busca do Pergaminho do maior mago da história de Nildriem, Arkross Shawron, um artefato que continha grandes magias e conhecimentos e que de maneira nenhuma poderia cair em mãos erradas, uma missão muito arriscada, pois a caverna é habitada por monstros terríveis, e a maioria dos participantes não sabem o real motivo da expedição, o que acontecerá quando eles descobrirem? Mas esse não será o único risco, também estão atras do Pergaminho Nyhan (um mercenário) e Raven (um nobre inescrupuloso) que partiram juntos para a Caverna Antiga e a família real de Asenhar, o reino das trevas, que também fará tudo para por as mãos neste pergaminho.

Então eu pergunto o que temos aqui? Ingredientes perfeitos para uma fantástica aventura conduzida pelo "mestre" Manoel Batista, com suas lutas de tirar o fôlego, momentos divertidos que nos tiram gargalhadas, personagens super bem construídos, que nos fazem amar alguns e odiar outros. Uns nos fazem rir com seu jeito moleque, outros querer dar um murro, mas todos nos conquistam.

Gosto muito quando leio livros, principalmente os de fantasia, o autor se dispõe a narrar detalhadamente cada cena pois fica fácil de imaginar a cena, nas cenas de luta eu visualizava em minha mente cada golpe como se um filme estivesse passando, acho isso incrível pois conseguimos quase que participar da história. Não sei se para  vocês é assim, mas para esse tipo de leitura tem que me absorver, como o Nildrien fez, senão não funciona.

A história do livro é incrível, mas a história por trás dele também é, a grande influencia que um jogo teve no processo de criação, e até em tornar o Manoel Batista um escritor, veremos no texto a seguir escrito pelo próprio autor:
"É praticamente impossível falar sobre Nildrien e logo não associá-la a um RPG. Isto se deve principalmente por Nildrien ter realmente nascido como um e o dito jogo ter tido um efeito enorme sobre a história, e porque não, para que eu viesse a me tornar um escritor.
Comecei a jogar minhas primeiras sessões, convidados por amigos de uma mesa no início dos anos 2000 e logo me impressionei com as possibilidades, quase infinitas, de narrativa e criação de personagens que o RPG oferece, independente do sistema. Você pode criar qualquer história ou personagem, que poderão ser adaptados para o jogo, ou seja, você pode ser tudo! O primeiro RPG que joguei foi Vampiro: A Máscara e lembro de ter saído tão empolgado da primeira sessão que no dia seguinte fui comprar o livro de regras, vendido na época em uma banca comum de minha cidade. Pouco tempo depois, já tinha devorado o livro e encantado com a possibilidade de criar histórias (em minha cabeça já naquela época, livros ou filmes desenrolados em tempo real), comecei a mestrar minhas primeiras histórias apenas um mês após ter entrado para o grupo de jogo.
Meus amigos e eu nos divertimos muito naqueles tempos, mas foi quando de fato conheci a “fantasia medieval” que tudo começou realmente a mudar de vez. No caso era um sistema próprio da mesa, adaptado do famosíssimo D&D e logo passei a me aventurar e depois criar e mestrar histórias com essa temática. Foi então que após um período de histórias bem sucedidas entre os jogadores, senti que poderia ir além e criar algo de diferente, algo que ainda fosse um jogo, uma brincadeira, mas que pudesse emocionar e entreter de uma forma maior. E foi ai que nasceu Nildrien, como uma simples história de RPG em janeiro de 2005.
Foram anos de trabalho e diversão, até que com meus amigos que jogavam a história nós sempre comentávamos que a trama tinha ficado muito boa e deveria ganhar um livro, alguma adaptação para que mais e mais pessoas pudessem conhecer, o que nos fazia vibrar e passar madrugadas a dentro nos finais de semana. Foi então que me arrisquei a começar a escrever um livro sobre a história, já tinha feito textos ao longo dos anos, mas nunca nada tão sério e me vi surpreendido mais uma vez, pois finalmente encontrei aquilo que realmente amo fazer nesta vida e que ainda não tinha percebido com tamanha convicção: contar e escrever histórias e o resto, bem, o resto é literalmente história. Ou seja, através do RPG pude encontrar o meu caminho na vida e por isso serei eternamente grato a este jogo, sempre tendo o maior respeito e carinho para com ele."


Adorei conhecer Nildriem e seus personagens, quero mais, não vejo a hora de ser lançado o próximo livro e ver o que vem por aí.


Sinopse:


Em um mundo de fantasia medieval, o despertar de uma poderosa energia em uma caverna milenar e remota faz com que os mais poderosos reinos de Nildrien se mobilizem para conseguir o artefato portador do poder: um antigo pergaminho criado pelo maior de todos os magos, contendo feitiços capazes de afetar o equilíbrio mundial. Sem poder enviar seus mais experientes e poderosos membros, resta às forças de reinos aliados formarem um grupo de jovens aventureiros para enviá-los ao maior desafio de suas vidas: uma aventura entre guerreiros, magos e monstros que dividem um cenário onde o fantástico e a magia se mostram mais presentes do que nunca. Uma jornada que mudará para sempre a vida desses jovens, repleta de drama, ação e humor.

Onde encontrar:  Amazon