sexta-feira, 31 de março de 2017

Resenha: Brumas do Passado - Deborah Valenti


Essa vida de fazer resenhas é bem difícil, dá vontade de dizer apenas assim: É maravilhoso, leia. Pois é o segundo livro seguido que eu leio que fico com as mãos atadas ao fazer a resenha, não posso contar muito da história pois seria considerado spoiler, e tiraria um pouco do encanto da leitura. Mas estou aqui para isso, então vamos lá....

Nessa história temos duas histórias de desenvolvendo paralelamente, um drama psicológico e caso policial e o que une esses dois casos é um romance.

Vamos iniciar pelo caso policial. Guilherme é delegado, e está de volta a sua cidade natal Belo Horizonte para resolver o último caso antes de deixar a carreira de delegado para  de dedicar as empresas da família. E esse caso está tirando o seu sossego, pois o serial killer, não deixa pistas para serem seguidas, apenas os corpos de suas vítimas. Ele trabalha arduamente com seu parceiro Julius mas não consegue avançar no caso.

Marina é uma jovem bailarina que trabalha em um hospital, ela tem um problema psicológico que não aceita o toque de outras pessoas, apenas sua mãe adotiva e sua melhor amiga Juliana que conseguiram transpor essa barreira, sua mãe havia falecido, então apenas com Juliana ela conseguia ter esse contato físico. Ela também não conseguia se lembrar de nada de sua vida antes de ser adotada, seis anos de sua vida estavam em branco e nesse período estaria a resposta para os seus problemas. 

Essas duas histórias se unem quando Guilherme (que é irmão de Juliana) conhece Mariana, no inicio eles ficam receosos em se envolver, ele alertado por Juliana do problema da amiga, fica com medo de trazer mais problemas para sua vida do que já tinha e ela por não poder se entregar por inteiro em uma relação. Mas as emoções que eles sentem quando estão juntos falam mais alto e fica impossível manter a distância....Mas será que Mariana conseguirá ser tocada por Guilherme sem ter uma crise da pânico? E Guilherme conseguirá se manter distante fisicamente de quem ele está cada vez mais envolvido? Como ser apaixonado por alguém e não poder tocá-la?

"Ambos falaram e falaram, porém nenhum dos dois disse nada de concreto
sobre seus próprios sentimentos. Mas será que as palavras eram mesmo necessárias? — perguntou a si mesma. Apesar de sua inexperiência e de nunca ter realmente amado alguém, Marina preferia pensar no “verbo” amar, em vez de no conceito de “amor”. Afinal, em sua opinião, ele se traduzia nas ações e não nas palavras." (trecho do livro)

Com Marina mergulhamos fundo em seus traumas, entrando com ela nas brumas de seu passado. Um passado que foi esquecido e mesmo assim deixou marcas profundas, que a impede de viver normalmente, de receber carinho...Ela não é uma personagem fraca, cheia de mi, mi, mi por tudo que já viveu, é forte e vai em busca de seu passado. Passado que ela vai descobrindo aos poucos em forma de pesadelos que se repetem e cada dia mostram algo mais. Que por mais terrível que seja, ela precisa descobrir para conseguir ser feliz.


"Ela era tão inocente — pensou — e ao mesmo tempo tão madura; ora frágil, ora de uma fortaleza admirável; ora tímida, ora atrevida, hora triste, ora de um humor sagaz e impertinente. Essa mistura era tão inusitada como o chocolate com pimenta, e ele apercebeu-se de repente de que ainda havia muito para conhecer daquela mulher. Era isso, essa mistura ambivalente fora o que o atraíra como a luz à mariposa, desde que pousara seus olhos sobre ela pela primeira vez."(trecho do livro)


Deborah desenvolve essa trama com uma elegância impar, na parte policial ela vai construindo o mistério nos dando vários suspeitos, que mesmo quando não estava lendo eu ficava tentando descobrir que era o assassino, pois sabemos  que ele está por perto, mas ela fica jogando com o leitor, colocando dúvidas, tecendo uma teia de informações que não facilita nada a vida do leitor e cativando cada vez mais... 

É o primeiro livro que leio da Deborah, ele caiu em minhas mãos por indicação de alguns autores que eu admiro muito que são a Nahra Mestre e o J.M. Alvarez. Mas mesmo assim ela me surpreendeu, e me cativou com sua escrita impecável, personagens bem construídos, e um enredo digno de um filme. Ela não deixa pontas soltas, nessa história cheia de mistérios, crimes, suspense (sabe aqueles filmes que você a todo momento, a cada esquina espera o assassino atacar? Pois é esse livro me deixou neste estado de tensão) e um final de tirar o folego que fechou tudo com chave de ouro. Virei fã da autora.

E não posso de deixar de falar na parte do romance que é a coisa mais linda de se ler, com cenas para lá de românticas que me fizeram suspirar diversas vezes durante o livro. E para quem interessar possa não é hot.

"Ao compasso da melodia e embaladas por ela, promessas silenciosas perpassavam. Não desistiriam um do outro, mesmo na tormenta; além do amor, compartilhariam também aquela consciência absoluta de que já não eram mais os mesmos, de descobriram-se mutuamente. Através do olhar eles se compreendiam e compactuavam."(trecho do livro)


Sinopse: 
Para alguns a felicidade pode ser eterna; outros a consideram efêmera. Na vida de Marina Avila, uma jovem e solitária bailarina, trata-se de um delírio, um sonho impossível; a felicidade não existe para pessoas que sequer toleram ser tocadas. Ninguém pode tocá-la. Não é permitido. Então um homem obstinado aparece em sua vida disposto a alcançar o que nenhum outro foi capaz. Anseios, até então desconhecidos, fazem festa ante os olhos dela, seduzindo-a. Sua realização está no fim daquela senda obscura traçada por sua mente ainda na infância e alcançá-la parece impossível. Seus sentimentos por Guilherme Kollen, no entanto, conduzem-na a uma busca pelo que está esquecido, produzindo o impulso que falta para que ela rompa as implacáveis cadeias do passado as quais a aprisionam em sua insípida existência. Enquanto Marina parte em busca do inimaginável, um perigo a espreita, e o caminho torna-se ainda mais árduo, ameaçando nublar a promessa de brilho e calor que se avizinha.

Disponível na Amazon.