Resenha: A Baronesa Descalça - Chiara Ciodarot

Era uma vez...

Eduardo Montenegro, o Barão Negro. Um homem que teve o casamento dos pais como exemplo... Para que nunca se casasse, se apaixonar: sim, viver esse amor: sim, mas casar-se nunca.

"Ademais, não era um homem que acreditava no amor como algo eterno. Era sinônimo de paixão, tão forte que só poderia levar a um lugar: a cama. E que, um dia, acabaria se extinguindo feito chama que arde sem se ver."

Ele cresceu com a forte convicção de que iria sempre que possível ajudar os que precisam, esse era um lema em sua vida. Ele queria ser grande e poderoso, mas apenas para poder ajudar os que viviam na opressão.

"Eduardo era muito esperto, admirado por sua perspicácia e intelecto. A mãe via toda aquela capacidade como um problema, pois era incapaz de esconder os seus sofrimentos dos olhos claríssimos do filho pequeno, que lhe invadiam a alma."

Mas o que eu mais amei nesse livro é que mesmo Eduardo sendo lindo e maravilhoso, maduro e sensato, que tinha tudo para chamar a história para si, mas não é isso que acontece, quem é o foco aqui é Amaia, uma garota que no início vocês poderão achar mimada e fútil pelo seu jeito desafiador, mas que no fundo ela só queria a liberdade de escolher seu próprio caminho, de ser mulher e não viver a sombra de um homem.

"Não queria que a vissem como uma peça a ser estudada antes de comprada. Ela era uma mulher e não um vaso que enfeitaria a sala de alguém."

Ela já está passando da idade de uma mocinha casar para os padrões da época e mesmo assim, mesmo tendo vários pretendentes, não se decide por nenhum. Ela foi acostumada a ter tudo de bom e de melhor, frequentar as melhores casas, suas ocupações era ir a festas com as amigas e flertar com os rapazes. Mas de repente ela perde seus pais e toda responsabilidade recai sobre ela, cuidar de uma fazenda falida, proteger os escravos, pagar as várias dívidas deixadas pelo pai. Além de tudo isso ainda tem sua irmã Cora, que eu prefiro nem comentar. Ela podia vender tudo e recomeçar em outro lugar, virar as costas para o passado, mas ela prefere ficar e lutar pelo legado de seus pais, para salvar seus escravos.

"De costas, Amaia não pôde ver a gargalhada muda que Montenegro dera consigo próprio. Podia se dizer um “conhecedor de mulheres’, porém nunca havia visto uma assim: tão... tão... impulsiva? Talvez melhor seria a palavra “verdadeira”."

Mesmo que para conseguir salvar sua fazenda e os escravos ela tenha que fazer a única coisa que ela queria não fazer: Casar.

"Também podia se gabar pela maneira com que julgava as pessoas com precisão. Não havia laudo de caráter que fosse errado. Se não confiava em alguém, é porque a pessoa era traiçoeira. Se gostava de alguém, simplesmente havia motivo para tal."

Montenegro, mesmo não querendo casar se encanta com a jovem Amaia, seu espirito livre, seus ideais, seu ar rebelde atingem direto o seu coração e ele fica totalmente enfeitiçado, quer a todo custo conquistar aquela mulher. Mas como resolver esse dilema: Ele não quer casar, e também não quer comprometer a reputação de Amaia e ela precisa de um marido urgente.

"Era inevitável, Eduardo Montenegro atraia tantas mocinhas quanto repelia as suas mães. A causa? Era o cofundador do Clube dos Devassos."

Esse livro é daqueles que você tem que degustar, saborear, não é daqueles que você lê rápido, devorando, ele tem um ritmo lento, gostoso, onde onde você pode apreciar a paisagem, os cenários, os acontecimentos de forma gradual. A riqueza de detalhes em nem um momento torna a obra cansativa e sim ainda mais fascinante e se passar em uma época tão conhecida por nós dos livros de história é um bônus, nos sentimos em casa.

Os personagens principais são muito bem construídos, é muito interessante ver o amadurecimento da Amaia durante o decorrer da história, de menina rebelde a uma mulher guerreira, no início deixa o leitor com um pé atrás para no final conquistá-lo. E Eduardo já me conquistou já no início pelos seus ideais e pela forma que sempre protegeu Amaia. Fora que a parte divertida da história se dá pela forma que ele implica e provoca ela.

Tem personagens secundários muito interessantes, que faz que a gente queira saber mais de cada um deles. Entre eles os personagens principais do próximo livro da série: Caetana e Roberto.

— Somos feitos do mesmo sal, você e eu. O sal que dá gosto a esta terra.


A BARONESA DESCALÇA
Amazon e Ed.Portal

Sinopse:
Vale do Paraíba, 1872. Saraus, bailes, rapazes, cavalgar e defender a abolição da escravatura, são estes os gostos da bela Amaia.

Mas tudo parece perder sentido quando seus pais morrem e deixam nas suas mãos uma fazenda de café e um testamento que a impede de alforriar os escravos. Sem saber como administrar uma fazenda e se afundando em dívidas, ela encontra apenas uma solução: se casar.

Todo e qualquer solteiro ou viúvo se torna um pretendente em potencial. Ou quase todo. Eduardo Montenegro não é pretendente para moça de família. Fundador do Clube dos Devassos, o misterioso Montenegro não pretende se casar, mas isso não o impede tentar levar Amaia para cama.

Enquanto tenta manter a sua integridade física e emocional, Amaia arruma um pretendente inesperado. Será que ela vai conseguir levar adiante o seu plano de salvar a fazenda e os escravos, ou será que a sua atração por Montenegro será maior? O famoso devasso acabará seduzido pelos encantos da charmosa abolicionista e a pedirá em casamento antes que ela se case com outro?

A Baronesa Descalça é o primeiro livro da Coleção O Clube dos Devassos.

Onde Comprar: Amazon (Ebook) │Editora Portal (Físico)

Quer saber mais sobre a autora Chiara Ciodarot e o próximo livro da Coleção O Clube dos Devassos clique AQUI