Resenha: A Casa das Senhoras Distintas - Lis Wey


Essa história vai te surpreender, Marcelle cansada de ter que viver sempre sobre as "regras" impostas pela sociedade resolve criar A Casa das Senhoras Distintas, um lugar onde sob a proteção de máscaras as mulheres podem ter todas as liberdades concedidas aos homens, jogar carteado, beber whisky ou brandy, tirar homens para dançar e até quem sabe ter encontros amorosos. Onde não existem nomes, classes ou títulos, apenas o desejo de ser feliz, mesmo que por alguns instantes.

A entrada só é permitida mediante a apresentação de um convite, eu já recebi o meu.


É lá que a jovem Clarie se encontra com o seu amado o Lorde Dourado, um romance escondido por conta de suas famílias serem inimigas.

E também é onde Juliette vê seus sonhos de desfazerem e encontra a mais profunda escuridão em sua alma, mas também encontra o Lorde Negro quem irá mostrar a luz que irá clarear a sua vida para sempre.

Claire era a filha caçula do Duque de Greenville, irmã de Marcelle, vai com uma amiga a Casa.

... Ela queria — e como queria — uma vida cheia de possibilidades. Queria que tudo não fosse tão óbvio, tão previsível, tão milimetricamente determinado... Era isso que procuraria na tal 
Casa: Possibilidades. 

E foi lá que o Lorde Dourado se encantou com o sorriso espontâneo e a ingenuidade da Dama de Vermelho e perdeu seu coração.

Precisava de uma dama que nem sabeia quem era. Era assustador o ritmo de seu coração e sufocante a sensação de não poder respirar.

Mas quando descobriu sua identidade, soube que seria quase impossível conquistá-la, pois ela era filha do inimigo mais ferrenho se seu pai. Vocês viram que eu disse: Quase, né?

— Meu querido. compreenda: não existe mais naquele caso. Eles são como duas almas separadas em outra vida e que finalmente se reencontraram. São amantes, são amados. Eles não se pertencem, se completam. E nada do que eu faça vai mudar isso ou impedir que eles se busquem. São imãs, por assim dizer. 

Uma história linda onde depois de perder seu coração por causa de um sorriso, Nielsen, trava uma verdadeira batalha para merecer o amor de Claire. Com um quê de Romeu e Julieta, essa história é leve e gostosa de ler, deixando assim seu coração preparado para a próxima história que é intensa e com o drama mais acentuado, que deixa o coração apertado, com todo sofrimento de Juliette.


Juliette era casada, mas era infeliz no casamento, pois seu marido não lhe dava a devida atenção.

A situação de Juliette não era tão diferente das outras damas casadas. Todas as sua amigas tinham a vida limitadas a chás, passeios e costuras, assim como ela. E só. Ela acreditava piamente nisso — ou se agarrava a tal crença para não enlouquecer de uma vez por todas. 
Era só aquilo mesmo? Como as outras poderiam ser felizes com aquela mediocridade?

E tudo foi piorando com o tempo, o marido cada vez mais ausente, as traições, as humilhações, as agressões, ela foi perdendo o encanto, o brilho a vontade de viver.

Um dia descobre sobre a Casa, e ainda, que seu marido a frequenta, e vai lá para ver com os próprios olhos, o lugar que segundo ela, era a causa de seu marido ficar ausente.

E em apenas uma dança com um desconhecido, tem vislumbre do que deveria ser a sua vida, se não tivesse se casado com "aquele" homem.

Aos poucos, nos braços daquele desconhecido, foi percebendo-se mais livre e as risadas foram ganhando tons mais altos, a dança foi ficando mais próxima e a Dama de Verde chegou, inclusive a sentir o hálito de whisky inebriar os seus sentidos, fechando os olhos e se entregando ao ritmo ditado por ele.

Lorde Negro consegue ler o que se passa na alma da Dama de Verde, vê em seus olhos uma tristeza tão conhecida por ele, e se torna o seu protetor, mesmo a distancia, fica velando por sua vida. Está sempre lá para salvá-la.

Juliette se entrega a depressão, sua vida perde todo o sentido, mas o Lorde Negro a resgata da escuridão e lhe restitui a vontade de viver, lhe trás esperanças, mesmo que ainda tenha que se manter distante, ele se torna presente na vida de Juliette. Ele está apaixonado, mas sabe que o momento de se declarar ainda não chegou, que ela precisa primeiro curar a alma.

Essa história me tocou muito, pois o que a Juliette passou é real na vida de muitas mulheres, e elas muitas vezes, a maioria das vezes, não tem um Lorde Negro para resgatá-las. Uma história triste, mas com a leveza de um conto de fadas, com um amor inspirador, onde o que realmente importa é o bem estar e felicidade de quem se ama, de estar lá sempre que precisar.

Amei esse livro, li muito rápido, não conseguia parar de ler, a escrita da Lis é fluida e gostosa, cativa o leitor que fica ansioso pelo desenrolar da história e curioso para conhecer as mocinhas do próximo livro.

* Texto em negrito e itálico foram retirados do livro. Imagem do convite fornecida pela autora.


A Casa das Senhoras Distintas

Sinopse: 
A Casa das Senhoras Distintas era um lugar único, criado especialmente para divertir as damas da sociedade londrina. Juliette, Claire, Marianne e Victória são quatro destas damas.
Um amor impensável, um amor proibido, um amor irresistível e um amor esquecido compõem esta série, que traz pequenas histórias envolventes e apaixonantes.
No volume 1, conheceremos Juliette e Claire, duas irmãs de Marcelle, a dona da Casa.
Permita-se entrar na Casa das Senhoras Distintas.

🗝O livro está em pré- venda, o lançamento será dia 01/09 (Ebook) e outrubro/2018 (físico).
🗝Onde Comprar
Ebook: Amazon (pré- venda)
Físico: Editora Portal (pré- venda)